Rui Horta e Alexandre Castro Caldas falam de arte e ciência em Cascais
Segunda sessão do “Salt & Pepper – Innovation Conferences” decorre no dia 12 de outubro e integra ainda o projeto “Raízes da Curiosidade”.


2016.10.10

É já na quarta-feira, dia 12 de outubro, que Cascais recebe a segunda sessão do “Salt & Pepper – Innovation Conferences”, um ciclo de conferências de criatividade e inovação que reflete sobre a convergência entre o processo científico e o processo criativo, para identificar elementos comuns entre as duas abordagens. Os convidados são o neurocientista Alexandre Castro Caldas e o coreógrafo Rui Horta, bem como Ana Rita Fonseca e Filipe Raposo, que apresentam o projeto “Raízes de Curiosidade”. A iniciativa é produzida pelo grupo de investigação Ideas(R)evolution do IADE – Creative University, Universidade Europeia, Instituto de Cultura e Estudos Sociais (ICES) e Câmara Municipal de Cascais.

O “Salt & Pepper – Innovation Conferences” é moderado por Cecília Carmo – jornalista por vários anos da RTP – e será dividido em dois painéis, um deles com convidados ligados às ciências exatas e o outro com oradores relacionados com as artes. Cada conferência assume um “passo” da investigação, sendo que o segundo momento será dedicado à interpretação e abordagem experimental. A iniciativa decorre no Centro Cultural de Cascais, às 18h00, e tem entrada gratuita.

Interpretação: Uma visão científica e artística
Alexandre Castro Caldas é o especialista escolhido para abrir a sessão e a sua participação vai incidir nas questões da cognição e aprendizagem. Neurocientista especializado em estudos da linguagem e doenças do movimento, Castro Caldas é diretor do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa e assumiu, até 2004, a direção do Serviço de Neurologia do Hospital de Santa Maria em Lisboa. Publicou ainda mais de uma centena de artigos em revistas internacionais e inúmeros capítulos em livros nacionais e internacionais.

Já Rui Horta vai refletir sobre a experimentação do corpo na dança performativa. Bailarino desde os 17 anos, altura em participou nos cursos de bailado do Ballet Gulbenkian, o coreógrafo teve formação por Nova Iorque e passou por Frankfurt, onde o seu trabalho foi considerado uma referência na dança europeia. Rui Horta já recebeu importantes prémios e distinções, como o Grand Prix de Bagnolet, Bonnie Bird Award, Deutsche Produzent Preis, Prémio Acarte, Prémio Almada, Grau de Oficial da Ordem do Infante e Grau de Chevalier de l'Ordre des Arts et des Lettres.

Como pode a curiosidade recriar a realidade?
O evento conta ainda com as presenças de Ana Rita Fonseca, neurocientista, e de Filipe Raposo, pianista residente da Cinemateca Portuguesa, dois elementos do “Raízes da Curiosidade”. Sob a curadoria de Madalena Wallenstein, o projeto parte da ideia de que a curiosidade é a força que leva cientistas e artistas a explorar e a recriar a realidade. Durante a conferência serão apresentados os resultados do trabalho de investigação, um género de objetos simultaneamente artísticos e científicos.

Especialista internacional em inovação na sessão de 24 de outubro
A sessão seguinte do “Salt & Pepper – Innovation Conferences” acontece no dia 24 de outubro, às 18h00, no auditório da Casa das Histórias Paula Rego em Cascais, e conta com a presença de Gijs van Wulfen, um especialista internacional em inovação e design thinking. O holandês fundou o método Forth que duplica a eficácia na implementação dos projetos de inovação e que já foi posto em prática por mais de 40 empresas na Ásia, Europa e América do Sul. Gijs van Wulfen foi um dos primeiros influenciadores do LinkedIn, tendo publicado vários livros, entre eles o “Innovation Maze” – bestseller na Amazon – e o “The Innovation Expedition”.