IADE traz até Cascais um dos maiores especialistas em inovação
Ciclo de arte e ciência conta ainda com a presença do criativo Pedro Pires e da coreógrafa e investigadora Sílvia Pinto. A entrada é gratuita.


2016.10.20

É uma autoridade reconhecida e um especialista internacional em inovação e design thinking, para além de ser um contador de histórias lírico-ilustrativas. Gijs van Wulfen foi fundador do Forth – um método que duplica a eficácia na implementação dos projetos de inovação e que já foi posto em prática por mais de 40 empresas em todo o mundo – e vai agora estar em Portugal a convite do IADE – Creative University, através do grupo de investigação Ideas(R)evolution. Na segunda-feira, dia 24 de outubro, às 18h00, no auditório da Casa das Histórias Paula Rego, o holandês vai explicar como criar culturas de inovação dentro das organizações e como desenvolver estratégias que aumentem o sucesso.

Esta palestra está integrada no “Salt & Pepper – Innovation Conferences”, um ciclo de conversas de arte e ciência que arrancou em setembro e que já contou com as presenças de Elvira Fortunato, Carlos Avillez, Alexandre Castro Caldas ou Rui Horta. A iniciativa – que, para além do IADE, tem o apoio da Universidade Europeia, do Instituto de Cultura e Estudos Sociais (ICES) e da Câmara Municipal de Cascais – coloca as duas áreas em diálogo, tentando perceber de que forma é que o processo científico e o processo criativo podem convergir e como podem trabalhar em conjunto. O “Salt & Pepper” é moderado por Cecília Carmo e terá como mote a transformação e a abordagem contínua.

Como ativar as marcas através da arte?
A somar à conversa com Gijs van Wulfen – um dos primeiros influenciadores do LinkedIn, e autor de vários livros, entre eles o “Innovation Maze” que foi bestseller na Amazon –, o painel conta também com a intervenção de Pedro Pires. O criativo é presidente do Clube Criativos de Portugal e, em 2015, criou a Solid Dogma com Vhils, uma unidade criativa focada em ativar o poder das marcas através da arte.

Pedro Pires trabalhou ainda com empresas como Vodafone, Sumol, Delta, Galp ou Coca-Cola e ganhou prémios em Cannes, na ADCE, no European Excellence Awards e no Eurobest. No dia 24 de outubro, o publicitário vai refletir sobre a transformação pela inovação na exploração do património e como é que a “art for branding” pode ser um útil e positivo instrumento de influência social.

A performance como meio de comunicação
Já Sílvia Pinto, investigadora e coreógrafa, vai abordar a transformação da informação, que é recolhida e interpretada, em movimentos corporais e atos performativos. Doutorada em Ciências da Comunicação, Comunicação e Artes e licenciada em Antropologia, Sílvia Pinto iniciou a sua formação em dança na Academia de Bailado Clássico Pirmin Treku, no Porto, tendo depois frequentado várias aulas e oficinas de dança em Berlim. A bailarina apresentou as suas peças em Portugal, na Alemanha e em Espanha e, atualmente, é investigadora do CECL (Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens, FCSH).