Facebook influencia cada vez mais decisão de compra
61 por cento dos inquiridos afirma que o que se diz no Facebook sobre determinada marca influencia a perceção e a credibilidade da mesma


2016.06.30

Qual a influência da presença das marcas no Facebook para o consumidor e qual é o impacto dessa perceção no processo de decisão de compra? Este foi o ponto de partida de um estudo levado a cabo por uma aluna e investigadora do IPAM, que procurou desvendar de que forma a presença das marcas na rede social Facebook – e a forma como estas se posicionam e se relacionam com o consumidor – determina ou influencia a intenção e decisão de compra. O estudo sugere que o Facebook, com cada vez mais expressão, aumenta a influência de consumidores sob consumidores, que partilham nas redes sociais as suas opiniões e experiências. Ou seja, verifica-se que o word-of-mouth nesta rede social tem verdadeiramente impacto na intenção de compra no ponto de venda.

A pesquisa realizada mostra também que o consumidor – que utiliza as redes sociais –, atribui elevada importância à presença das marcas no Facebook, que tem tendência para seguir as suas marcas preferidas, e que utiliza esta rede social como meio de pesquisa para as marcas. Mais de 64 por cento dos inquiridos afirma que utiliza o Facebook para conhecer ou saber mais sobre as marcas. O estudo atesta que a diferenciação entre produtos está na relação emocional que é estabelecida com os consumidores e que a força da marca está no que fica na mente do consumidor, mesmo quando não está na presença digital da mesma. Outro dado interessante é que cerca de três quartos dos inquiridos revela que se estiver à espera de feedback da marca no Facebook e se este não for devolvido, esse comportamento vai ter impacto na relação que mantém com ela.

Sobre o estudo
A pesquisa do IPAM foi realizada a um conjunto de 172 pessoas, com conta ativa no Facebook, e com idades compreendidas entre os 25 e os 34 anos. 58,1 por cento dos inquiridos é do sexo feminino e 49,1 por cento do sexo masculino. A faixa etária selecionada justifica-se por ser o segmento de idade com a taxa mais alta de compras on-line em 2015, segundo dados do INE. Mais de 70 por cento possui licenciatura ou mestrado.

Da autoria de Mónica Gouveia, investigadora e aluna de Mestrado do IPAM, o estudo pretende aferir de que forma as redes sociais, neste caso particular o Facebook, influencia a relação dos consumidores com as marcas e de que forma esta relação é determinante para o processo de decisão de compra.