Comissão Europeia apresenta “Nova Narrativa para a Europa”
Iniciativa visa a participação dos cidadãos, garantindo que a União Europeia continue a ser um espaço de desenvolvimento para todos.


2014.10.24

“Uma Nova Narrativa para a Europa”. É este o nome do projeto que visa, como diz o presidente da Comissão Europeia, “continuar a contar a história da Europa às novas gerações, que se revelam pouco comprometidas com a atual narrativa”. Da autoria de Durão Barroso, e respondendo ao desafio lançado pelo Parlamento Europeu, a iniciativa deu já origem a um Comité Cultural europeu, composto por 16 artistas, intelectuais, cientistas e representantes do mundo académico – onde se incluiu a portuguesa Luísa Taveira, diretora da Companhia Nacional de Bailado.

Em conjunto, este Comité redigiu a declaração “O Corpo e a Mente da Europa”, pilar da iniciativa e que permite um ponto de partida para a reflexão transeuropeia. Cada país da Europa fará a partir de agora o desenvolvimento do projeto e o seu desdobramento num conjunto de ações que tornem possível a reflexão. Em Portugal, cabe à Representação da Comissão Europeia em Portugal (promotor da iniciativa), em parceria com o Centro de Informação Europeia Jacques Delors (parceiro estratégico), apresentar o conjunto de ações a implementar em território nacional e que serão promovidas até maio de 2015.

Da lista de ações fazem parte concursos destinados a escolas secundárias e universidades, programas informativos e debates sobre o futuro e o presente da Europa. “Café Europa” é outra das atividades propostas. Na iniciativa, os participantes reúnem-se em mesas de café para, em conjunto, desenvolverem respostas e ideias para os vários desafios europeus. Já em dezembro deste ano, o Porto é palco de uma importante conferência sobre o tema, onde pensadores nacionais e internacionais irão discutir caminhos e preocupações.

Dos marcos do passado para os desafios do presente
A análise à narrativa europeia parte das grandes transformações que marcaram o continente ao longo dos últimos 100 anos: do pós guerra, à cortina de ferro, terminando na grave crise financeira de 2008. A partir daí alicerça-se nas artes e nos movimentos cívicos, políticos e sociais, mas também no fim do colonialismo e na unidade resultante da diversidade. A tudo isto junta um olhar aos problemas atuais. Ao desemprego. À migração. Às alterações climáticas. À segurança de dados. Aos direitos dos cidadãos.

A visão de futuro é ambiciosa, mas legítima. Visa uma Europa inspiradora e impulsionadora, uma agenda global de desenvolvimento sustentável, nova legislação económica e financeira, maior eficácia, sensibilidade e capacidade de resposta e um sentimento claro de pertença dos cidadãos. Uma narrativa mais adaptada à Europa do presente e às necessidades de hoje e de amanhã.

O projeto integra, no final, a apresentação e lançamento do livro “Uma Nova Narrativa para a Europa”. A edição integrará toda a informação relevante dos últimos meses, da qual farão parte as conclusões finais, propostas dos cidadãos participantes, análises e resumos das atividades. Um documento que pretende criar uma memória futura do projeto.