Associação criada no IPAM participa em evento mundial de alimentação
Refletir sobre agricultura e gastronomia é o objetivo do evento, em que a Associação Slow Food Porto, nascida no IPAM, vai marcar presença



2016.09.19

É já na próxima quinta-feira, 22 de setembro, que a Associação Slow Food Porto – criada pelas mãos de alunos e professores do IPAM – vai rumar até Turim, em Itália, para participar no Terra Madre 2016, o maior evento mundial dedicado à alimentação, agricultura, gastronomia, biodiversidade e cultura. Até dia 26, Rui Rosa Dias – docente do IPAM e presidente da Slow Food Porto – far-se-á acompanhar pelo Chef Álvaro Dinis e pelo nutricionista Pedro Graça, e juntos vão refletir sobre como prevenir o desaparecimento de culturas e tradições alimentares, combater a diminuição do interesse que as pessoas têm no tipo de comida que comem, preservar a biodiversidade e assegurar um futuro melhor para a alimentação de todos. O evento contará com a presença de mais de sete mil delegados de 55 países do movimento internacional Slow Food, que irão aprender a apreciar os sabores do mundo, conhecendo as pessoas que estão por detrás deles, do campo à mesa.

Durante cinco dias, os participantes vão poder visitar um mercado, com expositores dos cinco continentes, participar em iniciativas dedicadas à riqueza e à diversidade das cozinhas do mundo e à comida de rua, assim como em conferências e fóruns, refletindo sobre questões relacionadas com a produção de alimentos – sempre com o objetivo de proteger a terra. Haverá ainda espaço para uma apresentação, em que o Chef Álvaro Dinis, em conjunto com o Chef Vasco Guimarães e Tânia Moreira, confecionará um prato com degustação da tradição portuguesa, ao qual atribuíram o nome de “More than just meat – The North of Portugal on a plate”, por outras palavras, “Mais do que apenas carne – O norte de Portugal num prato”.

A participação da Slow Food Porto, neste evento, vai de encontro à sua missão de defender e promover a cultura eco gastronómica dos 18 municípios que representa, desde dezembro de 2014. A nível mundial, já são mais de 160 os países que fazem parte do movimento Slow Food e, graças ao enorme desejo do IPAM, de poder contribuir para a mudança de hábitos de consumo alimentares – mais conscientes e responsáveis, com base em princípios agrícolas de biodiversidade e sustentabilidade –, o movimento chegou até ao Porto. A associação portuense quer assumir-se como um núcleo do movimento internacional, totalmente urbano, e levar até à cidade, as vivências próprias da atividade mais rural, em prol de uma valorização mais equitativa da cadeia de valor agroalimentar. A sua presença em Turim promete, assim, trazer uma lufada de ar fresco para Portugal, promovendo a reflexão sobre a forma como o país se deverá reposicionar.